Pedro Do Canto Brum

Photographer

Nasceu em Lisboa em 1955, desde muito cedo se dedicou a fazer o que mais gosta. Fotografar. As suas raízes açorianas levam-no para os Açores sempre que pode, porque é lá que se sente em casa.
Ainda estudava e já percorria o país, captando imagens de ralis. O seu interesse pela fotografia foi crescendo e foi-se aperfeiçoando, realizando cursos, lendo e principalmente praticando.
Quando comprou uma câmara de grande formato, ainda sem estúdio montado, começou a trabalhar para as agências, para a Direção Geral das Alfândegas ao mesmo tempo que fazia trabalhos para o turismo português e estrangeiro (Marrocos).
Quando veio para o norte instalou-se na Maia e montou primeiro um pequeno estúdio, que rapidamente teve que ampliar. Um espaço equipado para poder produzir todo o tipo de imagens industriais e publicitárias, desde a receção da maqueta, até à apresentação da imagem final. As agências representam quase 90% dos trabalhos de estúdio, mas também tem uma vasta carteira de clientes diretos que, ao fim de 10 anos, lhe são inteiramente fiéis, entre os quais clientes internacionais.
Em 2001 começou a lecionar no Instituto Português de Fotografia o Curso Profissional de Fotografia: Grande Formato, Publicidade e Estúdio, e em 2006 Fotografia Aplicada no Instituto Politécnico do Porto.
Em 2004 recebeu o prémio de profissional do ano atribuído por várias personalidades na área da fotografia.
Desde 2005 que realiza seminários de Fotografia Digital, Fotografia de Arquitetura e Fotografia de Produto, entre outros no Instituto Português de Fotografia, na Fundação de Serralves e no Instituto de Recursos e Iniciativas Comuns da Universidade do Porto, bem como Workshops sobre técnicas de iluminação, fotografia digital de estúdio para demonstração, a convite do Instituto Português de Fotografia, Canon e várias outras empresas e organismos.
No ano de 1981 teve a sua primeira participação numa exposição coletiva, no Casino do Estoril no âmbito do Ano Internacional do Deficiente.
Em 1984 realiza a sua primeira exposição individual na Casa dos Açores, seguindo-se em 1999 “Um olhar sobre Braga” no Parque de Exposições de Braga, organização do Braga Parque.
Em 2011 no Teatro Micaelense e já em 2012 no Yeatman Hotel, em Vila Nova de Gaia, uma exposição individual integrada no evento “The Yeatman Wine Experience”.
Colaborou em jornais e revistas como o Autosport e Motor, Cavalo Magazine, Welcome to Oporto e em livros como por exemplo no livro de GASPAR MARTINS PEREIRA (2011, Rainho e Neves, Lda – Stª Maria da Feira) Roriz Histórica de uma quinta no coração do Douro, no livro de Receitas e Vinhos da Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes (Edição de abril de 2008), no Os Paliteiros de Prata do Club Portuense, (Club Portuense, 1999, Porto) de Gonçalo, VASCONCELOS E SOUSA e Grape Harvest (Gráfica de Coimbra) de Miguel Torga, entre outros.
Hoje em dia, no estúdio, só se trabalha com máquinas digitais de última geração. Todas as fotografias são importantes sejam elas artísticas ou de produto, todas elas tem uma finalidade, captar a atenção e é com esse intuito que as realiza.
O segredo? A luz… e a sombra.